12.8.12

Criação de Arquivo de Memórias

Caros SQB's!
Tendo em vista a criação de um "Arquivo de Memórias de Encontros Anteriores" agradecemos a todos os que tenham fotos e vídeos de encontros anteriores as enviem para o nosso endereço squelimaneb@gmail.com com o assunto "Arquivo de Memórias de Encontros Anteriores" todas as memórias que tenham, incluindo "pripécias", aventuras e resultados de jogos ;-)

Abraços a Todos!!!
Até Breve

Administração Grupo,
Luís AT
RJorgeLeite

6.9.10

Encontro Cerveira 04-09-2010

O “Operador de Camera”.

10.1.10

Sporting de Quelimane

Caros amigos
Fui descobrir no fundo do baú esta foto.
É a equipe do Sporting de Quelimane na final contra o Benfica em Juniores. O jogo foi realizado no campo do Ferroviario.Me recordo que esse jogo teve transmissão pela radio. Vitoria do Benfica por poucos pontos.
Se a memoria não me falha foi em 1976. Me lembro de alguns jogadores.
Em pé da esquerda para a direita;
Orlando Noronha (treinador) Miguel Patricio, Malhangas (aliás Luís Abel Cezerilo),Paulo Patricio, ?, Eduardo Patricio e Rui Costa (seccionista)
Em baixo pela mesma ordem;
Guterres, Santana, Joaquim Patricio, Milhais, ? . Na foto falta o Eduardo Costa meu irmão que se encontava com 40 graus de febre e não pode participar do jogo.
Nosso uniforme era o considerado o número dois e a rapaziada acreditava que dava sorte
Um abraço do amigo chuabo


Rui Costa (trabalhava no Manuel Nunes) ao lado do Cine Aguia

11.8.09

Penafiel 20 de Junho 2009

A prepararem-se para o jogo. Ou seria para a sardinhada??

17.5.09

Viseu 16 Maio 2009

Poucos mas bons. Obrigado ao Mário Rui e esposa.

29.1.09

Salão de Festas do Sporting

Quantas festas, quantos bailes e peças de teatro.

Mais em
http://www.flickr.com/photos/mansir/

10.11.08

Miriam Makeba


segunda-feira, 10 de Novembro de 2008 08:49

Miriam Makeba morre aos 76 anos após sair do palco. A cantora sul-africana Miriam Makeba, conhecida como «Mama Africa», morreu domingo à noite em Itália, ao sair do palco, depois de ter actuado num concerto de apoio a um jornalista ameaçado de morte pela máfia.
Fonte da Clínica de Pineta Grande, em Castel Volturno, perto de Nápoles, disse que a cantora morreu pouco depois de ter dado entrada no local.
A agência noticiosa italiana ANSA referiu que Makeba terá sofrido um ataque cardíaco no final do concerto, em que participaram vários artistas e que foi dedicado ao jornalista e escritor italiano Roberto Saviano, ameaçado pela Camorra, a máfia napolitana.
«Ela foi a última a subir ao palco, depois de vários outros cantores. Houve uma chamada ao palco e, nesse momento, alguém perguntou aos microfones se havia um médico na assistência. Miriam Makeba tinha desmaiado», relatou uma fonte.
Cerca de um milhar de pessoas assistiu ao concerto em Caltel Volturno, considerado um dos bastiões da máfia napolitana e onde seis imigrantes e um italiano foram abatidos em condições obscuras, em Setembro passado.

28.10.08

Estás farto do Google ? E és do Benfica ?




Então clica no link e tens um motor de pesquisa como deve ser



S L B O O G L E





20.10.08

Carissímos,

No "Doc Lisboa", assisti a três documentários cinematográficos sobre Moçambique (dia 18 de Outubro no cinema São Jorge), todos filmados no período pós-independencia no âmbito do "série" Kusha Kanema. Repete no próximo dia 22.
Num dos documentários revi antigas e antigos basquetebolistas de Quelimane. Corria o ano de 1978 e em Maputo realizaram-se as finais do 1ºs jogos Nacionais Escolares. As equipas de Basquetebol da Zambézia, masculina e feminina, foram às finais . Entre as jogadoras reconheci a Canduxa, a Lídia Ribeiro Artur e a Sónia Santana Afonso. Entre os jogadores reconheci o Luís Gonzaga. Não deu para mais porque as filmagens foram muito rápidas.
A programação do evento está disponível na página da internet http://www.doclisboa.org/

Um abraço para todos do Adelson

5.10.08

Arsénio Palha

O Arsénio foi e é nosso amigo desde sempre. Embora não tenha estado presente em nenhum dos nosso encontros, em todos eles lhe telefono e conversamos quer esteja ele em Quelimane ou mais recentemente em Tete. 

O Arsénio é um amigo sempre disponível para o que precisarmos e reflexo disso foi a atenção e o carinho que ele e a esposa Ângela dispensou quer a mim e à Paula quer ao Jorge (nipipa) e familia quando nos deslocamos a Quelimane.
Serve este post para lhe lançar o desafio para ele estar presente num dos próximos encontros. Pode ser já o de Viseu em Fevereiro/Março de 2009.

Teles, Luís & Ruas

Lindos...

4.10.08

Carlos Freire, o «Boss» do meeting, na companhia do «Big Boss» Senhor Teles

Agradecemos a eficácia na organização, do evento, bem como, todos os afectos que as fotos demonstram, ao longo deste Blog de amigos.

René Trindade e Luís Guedes

Quelimanenses dos 4 costados

Sejam bem vindos.
René uma lenda da baliza; um Gentleman na maior acepção da palavra.
Luís Guedes, o companheiro incondicional em todas as frentes solidárias.

Ricardo «Sir Sherloc Holmes«, Adelson Amaral «Monsieur Poirot», e Chico Vasconcelos, «Sir Watson»


Imponente.

Furtado «Alain Delon», Moty (Yul Brynner) e São Cabral «Jackeline Bisset»


Yolanda (Mayô) e seu marido Andrade; à cabeceira da mesa uma senhora sexi, e charmosa, de uma simplicidade invulgar


Monsieur «Poirot», Adelson, e Chico Vasconcelos «Sir Watson» faltando o Ricardo Leite (Sherloc Holmes)


3.10.08

A Senhora Morais e Leonel Costa

Leonel Costa,
cada vez mais
parecido com a Senhora Dona Claudina,
sua mãe.

Cremildo Pereira (Mayô) - Toninho Ruas, Cristina Morais


O Olhar Perspicaz de «Monsieur Poirot» = Adelson Amaral

Eficácia na organização
do encontro.

2.10.08

FÁTIMA NAZAREHT E LUÍS BULHA

HARMONIA E SEGURANÇA
FOI MUITO BOM ESTAR CONVOSCO!

ATENÇÃO MALTA, NÃO TEM NADA A VER COM A CABANA DO PAI TOMÁS, OK?


É O NOSSO RENÉ ACOMPANHADO PELO JOÃO, E A PEQUENITA, AO MEIO A SÃO CABRAL,E Á ESQUERDA O SÉRGIO

O TALENTO E VERSATILIDADE DE UM ARTISTA QUE É NOSSO.


UM ABRAÇO ENORME CARO SÉRGIO, ÉS MESMO QUELIMANENSE!

«Mistério»: QUEM CONTOU A PIADA?

REPAREM NA ESPONTANEEIDADE DOS SORRISOS, A SOAR A GARGALHADAS, DESTE TRIO!
MÁRIO RUI; ZECA NUNES E O TELES.
TERÁ SIDO O NOSSO FOTÓGRAFO,
O LUÍS BULHA, O GERADOR DESTA BOA DISPOSIÇÃO?
OU TERÁ SIDO ALGO DIFERENTE?
QUEM QUER ADIVINHAR O MOTIVO DA GARGALHADA?
OU FOI O NOSSO GRANDE ANIMADOR, O SÉRGIO?

29.9.08

Encontro dos SQB - 6 Setembro

O CHARME, A BELEZA A SIMPATIA, das SENHORAS, E OS AFECTOS NO OLHAR, DE TODOS NÓS!

Conversas da nossa adolêscência; «Recuerdos» que nos marcam a vida; pensamentos bons, positivos, onde a AGLAÉ MORAIS, esteve presente também nas nossas memórias.
Tive o privilégio de conhecer a sua filha que é tão linda, tão linda, que a sua beleza, ofuscou o sol radiante, que ciumento, mas inteligente, se retirou temporáriamente, de forma subtil, daquele espaço em momento sublime de tamanha beleza.

18.9.08

Reencontro de amigos após mais ou menos 40 anos

Da esquerda para a direita: PEDRO VASCONCONCELOS; HENRIQUE VIEIRA E TONINHO RUAS.

  • Alguns espaços: antiga rua Heróis da Zambézia; traseiras da «cadeia civil» e outros locais percorridos sem descanso, mesmo que a «mataquenha» apertasse, e a «filária não nos desse descanso. (andar em cima de um tambor era uma arte; o salto em altura; o salto em comprimento no meu quintal era um desafio; O Apetitoso era mesmo: meio pão de meio quilo, cortado ao meio, e com muito leite condensado, Cruz Azul ou Néstlé; não nos esquecendo dos piqueniques nos telhados da polícia, subindo pela enorme acácia no meu quintal, com saladas de tomate com sal, manga verde com sal e também papaia meia verde com sal, que «Delícia»! As bebidas claro está, eram ou água, ou raramente água com açucar e cascas de limão! Magnífico.
  • Outros «Compinchas»: Zéquita, (o police); joão Muaz Gonçalves, Anto, Nené e irmão, os irmãos Badalinho, Zé Medeiros, Jildo Santana, e irmão Henrique Santana, Henrique Joyce e outro companheiros, conterrâneos e amigos, sem que a memória me atraiçoe.
  • Mais tarde separamo-nos, quer por opções de escola, quer por outros quaisquer motivos relevantes para as nossa vidas de adolescentes.
  • Mas fica a lembrança dos nossos convívios, especialmente em casa dos Santana, e do Henrique Joyce, mas também, as «caçadas», com pressões de ar, às toutinegras e díficilmente aos beija-flor, alvos bem muito mais dificeis, já que nunca estavam quietos.
  • Lembro-me que eram os irmãos Badalinho que se encarregavam de preparar o pestisco!
  • E foram alguns!
  • Um abraço a todos.

  • Toninho Ruas

13.9.08

Cinema Águia . . .



Foi nesta data que Quelimane viu ser inaugurada aquela que seria a principal Sala de Espectáculos da urbe de então.Falamos do Cinema Águia, inaugurado com pompa e circuntância a 15 de Março de 1958.Seria um marco histórico(50 anos), caso ainda estivesse em actividade.



11.9.08

Estádio Universitário - Lisboa, 06Set08















As claques, Os "Donos das bolas" (Eh!Eh!Eh!) e as Equipas.

Sou de um tempo...

Aqui vai a minha 1ª contribuição. Texto de Mia Couto...leiam e digam-me lá se vos traz algumas memórias, cheiros, imagens...

"Sou de um tempo e lugar em que os comboios eram lentos, tão vagarosos que pareciam arrependidos da viagem. Na estação, não havia despedida. Nada de separação traumática, o golpe definitivo da partida. Tudo era tão lento e esfumado que se convertia em irrealidade. A despedida como repentina ruptura eu aprendi mais tarde, no meu primeiro aeroporto. Voar é o sonho da própria poesia. Mas o voo tem despesas de afecto muito pouco poéticas.
Nasci e vivi entre meandros de rios, preguiçosas águas que se apegavam às margens. A estação ferroviária obedecia a essa líquida paisagem. O comboio era um barco e eu entendia porque se chamava «cais» àquela plataforma onde as mães agitavam os lenços brancos. Para mim, os modos lentos do comboio não resultavam de incapacidade motora. Eram, sim, gentileza. Uma afabilidade para com essas pequenas mortes, que são as despedidas.
Muitas vezes me desloquei para a estação dos caminhos-de-ferro com o fim de não me deslocar para lado nenhum. Ficava no banco de madeira a olhar a gente transitando. E me abandonava naquele assento durante horas, sem que o tempo me pesasse. Talvez eu viajasse mais que os próprios passageiros que chegavam e partiam. A minha cidade era pequena, tão pequena que os domingos, com seu tédio antecipado, não eram notados. Eu inventava os meus tempos fora do Tempo, ali na arrastada azáfama da estação ferroviária.
Não tive propriamente uma educação religiosa. Apenas de quando em quando eu entrava em recinto de igreja. Fazia-o porque havia ali um sossego que me refrescava a alma. Qualquer coisa parecida com o que eu encontrava na gare ferroviária. Com a diferença de que a estação me facultava um recolhimento do lado de dentro da Vida, um resguardo entre as pessoas e as almas que eu nelas inventava. Os fantasmas da igreja moravam na sombra fria. Os da estação eram solarentos, riam alto e falavam línguas que eu desconhecia.
Algo me ficou desse estacionamento de alma, como se eu ganhasse residência perene nas velhas estações de todo o mundo. Afinal, essa contemplação me trouxe como que um irreparável vício: ter um banco de madeira onde eu possa ver desfilar pessoas em flagrante viagem..

Mia Couto
--
Carlos de Sousa

Os "Velhinhos" do "Basket" - Eh!Eh!Eh!















Guia Martins (atrás), Zeca Nunes (à espreita), Mário Rui e Luís Bulha,
em primeiro plano.

Lisboa, 6 de Setembro

 

6 de Setembro 2008 - O Recomeço após 38 anos

Luís Bulha 1º, e Franco Costa o 3º da esquerda, para a direita: com os Quatro «Mosqueteiros», (Toninho Ruas, Chico Vasconcelos (o pequenote), Carlitos Freire, o (Mameiro), o Pedro (China), companheiro inseparável, sempre presente, nas mais diversas tropelias num espírito super saudável de uma infância inesquecível; desde as goiavas (goiabas) de casa, e de outras casas, as maçanicas do Sr Fernando António, às peladas na prisão com os prisioneiros, os carros de rolamentos a preceito, na cisterna, nas traseiras da câmara municipal; aos vidros partidos da biblioteca Municipal, onde imperava o sr Gonçalves, (a quem, de forma subtil provávamos os figos frescos da figueira no seu quintal, saltando o muro), pai da Geninha e tio da Milai; e outros companheiros e companheiras; Infância «rica», livre, feliz; mesmo com as exigências rígidas da Maria Pia a «Protectora» implacável.
O Lema era: BRINCAR, BRINCAR, BRINCAR.
PS: Faltam o Zé Freire (o Grande), seu irmão Toninho Freire (o Russo), Juca o (Bangú), meu irmão, Luís Freire, Tozé Freire, e de vez em quando as meninas: Anita, Guida e a Cecília Vasconcelos.
Quando falo destas peripécias aos meus filhos, eles riem-se muito e dizem: «vocês eram da idade da pedra».
Recordo-lhes que o espaço era nosso, o tempo parecia parar, e as portas das casas dos nossos pais estavam sempre abertas. Tanto assim, que aos fins de semana brincávamos também nas salas principais do Tribunal, quer em cowboys e índios, quer em corsários Piratas motivados por Emílio Salgari, para além dos Cinco de Enid Blyton, onde o cão era neste caso a «Pituca» a nossa cadela que sem pedir licença a ninguém dormia no meio da rua em frente à escola Vasco da Gama, obrigando os automóveis a passar ao lado; morreu de velhice aos 13 anos e nunca foi atropelada). Todos esses pedaços de vida da nossa infância estão lá, e também na nossa memória; até, imaginem, o saltar o muro da casa do Bispo, para apanhar amêndoas e romãs, e toranjas. Percorríamos a nossa cidade de ponta a ponta sem medos, em aventuras constantes; ás vezes saía mal; a piscina municipal era «nossa», das 7 horas da manhã, até ao seu fecho.
Isto era qualidade de vida, com mentes sãs e limpas, de quaisquer preconceitos.

7.9.08

Amigos

34 anos depois da turma do liceu João de Azevedo Coutinho.

Xico, Margarida, Furtado, Evelise, Tó Morais, Eveline, Adelson e Ricardo

Lisboa, 6 de Setembro 2008

As Equipas
O Jogo
Old Friends - René, Luís Bulha, Mário Rui, António Guia Martins, Henrique Vieira e Paulo Patrício.

4.9.08

Desenvolvimento do hóquei em Quelimane

"O primeiro passo é formar uma associação" – diz Inocêncio Paulino, director provincial da Juventude e Desportos da Zambézia
“Para arrancarmos com o hóquei a sério temos que formar, em primeira instância, uma Associação de Patinagem da Cidade de Quelimane com os estatutos devidamente legalizados. É importante que este processo se concretize para que o hóquei seja mais conhecido e crie-se condições para a organização de provas oficiais”, defendeu, Inocêncio Sitoi, director provincial da Juventude e Desportos da Zambézia, que vê a medida como a melhor estratégia para um melhor crescimento da modalidade naquela província do país.

A avaliar pela qualidade e vontade das crianças que surgem dia-após-dia a patinarem, Inocêncio Paulino acredita ser possível que a cidade de Quelimane se iguale a médio prazo ao nível do hóquei praticado na cidade de Maputo.
“As crianças têm muito dom para esta modalidade. Em pouco tempo se habituam aos patins. Vê-se muita alegria neles naquilo que fazem e isso incentiva-nos a criar condições para que esta seja uma das modalidades mais respeitadas da província”, frisou.
O dirigente acrescentou que será feita uma campanha pelos clubes no sentido de fazer perceber sobre as potencialidades que a modalidade possui para que abram as suas portas ao hóquei. Neste capítulo, Inocêncio elogiou o Sporting de Quelimane por ter sido o primeiro clube a abrir as portas ao hóquei.
“Quero felicitar os dirigentes do Sporting por terem depositado fé nesta modalidade. E com certeza que não se deram por arrependidos pois os resultados estão à vista”, anotou, parabenizando a Federação Moçambicana de Patinagem (FMP) por ter se deslocado a Quelimane para entregar os equipamentos, um gesto, que segundo ele, veio moralizar dezenas de jovens.
“A meio do mandato é o primeiro presidente de uma federação que recebo e é para mim uma grande honra. Tratando-se de Cândido Coelho, uma figura com um percurso invejável no desporto, tem um duplo sabor”, acentuou.
Para melhor desenvolver a modalidade, Inocêncio afiançou que trabalhará em parceria com o município sobretudo para a identificação de mais espaços para a prática da modalidade. Em relação a isto, aventou a possibilidade de estabelecer contactos com a direcção do Benfica de Quelimane para a cedência do seu pavilhão e, quiçá, abrir uma escola de patinagem.
Falou ainda da identificação de pessoas e empresas que estejam dispostas a contribuir para revitalização do hóquei, algo que, de acordo com ele, não será difícil.
“Penso que encontraremos pessoas que estejam dispostas a apoiar o hóquei. A modalidade tem alguma tradição na zona (Quelimane) para além de que as últimas prestações da selecção nacional, em campeonatos do mundo, serão um incentivo extra”, frisou.

Mr. Garrido

Faleceu recentemente a mãe do nosso Mister de sempre, o Garrido.

Em nome de todos os SQB`s os nossos pêsames  e o nosso abraço solidário e amigo!

19.8.08

FLORINDO - UM ICONE DO SQB

FLORINDO, uma figura ímpar no nosso SQB, cada vez mais multidisciplinar

Este Senhor que reside no Laranjeiro, foi dos jogadores mais disciplinados em todas as disciplinas do futebol; cuidadoso no vestir, em campo ou fora dele, sereno, discreto, um exemplo para os mais novos, grupo onde me incluo com gratidão e orgulho; meu 1º treinador nos juniores.
Calmo, discreto, pedagogo, criou em nós a imagem do sacríficio, da disciplina do querer ser jogador de futebol; que é diferente de dar uns quaisquer pontapés na bola.
Muito obrigado FLORINDO, pelos ensinamentos que nos transmitiste.
Jamais nos esqueceremos de ti!

Um abraço sem fim dos teus pupilos e amigos,

Ruas


16.7.08

Imperdível ...

video

13.7.08

Se bem me lembro ...


Ainda se lembram do nosso amigo e colega Vitor Vilas, grande craque de futebol. Aqui num piquenique "Moçambicano" no Canadá, ao lado de Joca Campos também jogador de futebol no Sporting (obrigado Luis Bulha pela dica, mas já não me lembrava do nome).

Um grande abraço para ti, para a tua irmã Natércia também nossa colega na escola e teu irmão que se a memória não me falha se chama Carolino.

Zéluis

26.6.08

Ferroviário de Quelimane

Da esquerda para a direita:
De Joelhos - Belém Rodrigues (Zé Gato), Sobral, Chico Azevedo, Ibrahimo Raichande, ?
De pé - Omargy, ?, Carlos Freire (Mameiro), ?, Santana Afonso (Mwana Pancho), João Lobo.

Leonel Costa


O Leonel Costa no papel de "Mister". Foto cedida por Rogério Afonso.

10.6.08

Mr. Garrido

Uma palavra especial de agradecimento a Mr. Garrido, pela sua forma de estar, amigo, colega, companheiro, treinador, estudioso, enfim um verdadeiro "PIVOT", nessa etapa das nossas vidas.
Zeluis

6.6.08

Torneio Coca-cola

Da esquerda para a direita: 1ª Fila - ?, White - talvez Eduardo?, outro White?, ?, Rui Motty. 2ª Fila - ?, Rogério Motty, ?, ?, Carlos Freire.

Adivinhem quem é o mister treinador?

Foto de Lígia Portela

3.6.08

Equipa Sporting Club de Quelimane 73/74

De pé (da esq. para a dir.): Ó da Silva; Ricardo Almeida; Rui Martins; Tonecas; Zé; Paulo Patrício; Cunha; Zeca Gonçalves; Rui Vieira
Em baixo (da esq. para a dir.): Mário Durval; Santana; Guterres; Milhais; (?)
Gostaria de contactar os meus companheiros de basket!

27.5.08

6.5.08

Loulé,26/04/2008 - Jogo de Basket (Quelimanenses da "Velha Guarda")
















O Organizador (Sérgio Rita), os Jogadores, Fase
do Jogo, Descanso e Aplausos.

1.5.08

Alte,25/04/2008 - Apresentação das bolas oficiais















Leonel no uso da palavra. Mário Rui assiste.

30.4.08

Equipas em Estágio















A partir da esqª (De pé) - Carlos Freire, Zeca Nunes, Guia Martins, Leonel,Mário Rui, José Furtado, Luís Bulha, João Silva, Franco Costa, Pedro Vasconcelos, Sérgio Rita e Adelson Amaral.
Em baixo: A "petizada" com Alfredo Teles e Ricardo Leite.

29.4.08

Loulé, 26 de Abril

O Bito ainda não se esqueceu como se joga!

Loulé, 26 de Abril

Antes do jogo, a foto dos "artistas"

Alte, 25 de Abril de 2008

A animação esteve a cargo do Sérgio.

26.4.08

LOULÉ, 26 DE ABRIL DE 2008

Um imenso obrigado à Valentina e ao Sérgio pela forma magnifica como nos receberam na sua terra: Alte